Atleta paraolímpico visita alunos do 8º ano

Atleta paraolímpico visita alunos do 8º ano
28 de junho de 2018 Escola Cristã Jundiaí

Para complementar o assunto de Ciências – sistema esquelético-muscular e sistema nervoso, os alunos do 8º ano receberam Igor Masi e puderam ouvir sua história como cadeirante há mais de sete anos.

No livro de Ciências, consta o exemplo do cantor Herbert Vianna, que se tornou paraplégico em consequência de um acidente sofrido em 2001. Para os alunos, nascidos por volta de 2005, portanto, geração mais recente, falar do cantor Herbert Vianna é um exemplo muito distante. Por isso, ouvir pessoalmente o Igor contar sua história de paraplegia foi um exemplo concreto, para quem puderam dirigir várias perguntas e entender como o organismo funciona após uma lesão medular. Ouvi-lo falar de lesão medular na altura das vértebras torácicas T6 eT7, além da fratura na vértebra cervical C-2, mas sem afetar a medula, e entendo do que se trata,  de certa forma, foi legal para os alunos. Depois de entender o que são neurônios, como funcionam, aprender sobre sistema nervoso central e periférico, sobre medula espinal,  nervos, coluna vertebral  etc.  ouvir as explicações do Igor sobre sua situação de paraplegia fez todo sentido.

Legal também foi saber como ele superou o traumatismo (físico e psicológico) decorrente de um acidente de moto. Na fase inicial do tratamento, ficou 108 dias na UTI; depois, voltando para casa, passou, durante muito tempo, precisando de ajuda para tomar banho, para comer, para sentar-se ou deitar-se e até para virar-se na cama. Com muita fisioterapia e exercícios físicos, hoje consegue levar uma vida independente. Mora sozinho e faz de tudo: limpa sua casa, cozinha, lava e passa roupa, dirige seu próprio carro, faz faculdade, trabalha como voluntário em várias frentes – capelania hospitalar, prisional e em casa de recuperação.  Também pratica vários esportes: caiaque, barco à vela, arremesso de peso, lançamento de dardo, lançamento de disco e natação.

O organismo, desde que bem estimulado, reage muito bem.  Igor Masi  trouxe o exemplo de que  o ser humano não  deve  acomodar-se no sedentarismo, nem achar que não há soluções ou saídas; sempre há uma saída, sempre há alternativa. Mesmo que haja fatores limitantes, sempre há a possibilidade de superá-los. E com a ajuda de Deus, muito mais!

 

Escola Cristã Jundiaí