Emocionalmente – Thiago Augusto Colepicolo – 9º ano C

Emocionalmente – Thiago Augusto Colepicolo – 9º ano C
29 de janeiro de 2018 Escola Cristã Jundiaí

Emocionalmente

Thiago Augusto Colepicolo

                Divertida Mente é, com certeza, um dos melhores filmes já feitos pela Pixar. Dirigido por Peter Hans, o filme leva o público a refletir sobre o que há de mais importante em suas vidas, as próprias emoções, e a como enfrentar situações cotidianas, como conflitos familiares e adaptação em novos lugares.

Não poderia faltar no longa-metragem a diversão presente em todos os filmes da Pixar. Divertida Mente tornou os dilemas e conceitos da psicologia muito mais leves e infantilizados, agradando todos que o assistem.

Peter Hans, anteriormente, foi indicado ao Oscar de animação por dirigir “Monstros S.A.” e ganhou com “Up! Altlas aventuras”. O histórico do diretor indicava que Divertida Mente não ficaria atrás dos outros filmes por ele já produzidos. E, realmente, isso não aconteceu, para muitos fãs da Pixar, o mais novo longa se igualou a Toy Story e a Procurando Nemo, clássicos do cinema infantil.

O que mais surpreendeu o público foi a ideia trazida pelo filme, toda a história gira em torno da mente de uma garota, Riley, tendo como personagens principais suas emoções, Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Nojinho. “Minha filhinha estava crescendo, mudando, estava com onze anos, ficando cada vez mais tímida. Eu vivia tentando pensar o que se passava na cabeça dela”, disse o diretor.

Além do excelente enredo, recheado de emoção, o filme contou com excelentes vozes para dar vida às personagens. Na versão original, Amy Pochler dublou com maestria a Alegria, e Plylis Smith entrou na personagem dublando a Tristeza. O público brasileiro assistiu ao filme dublado por vozes já conhecidas na televisão, como Miá Mello e Otaviano Costa.

Com isso, Divertida Mente agradou a maioria do seu público e, com toda certeza, é um filme que não sairá tão cedo da mente de quem o assistiu. Não só por todos os conceitos por ele trazidos, mas também pelo amor que as personagens causam e a afetividade que se criou por elas, além, claro, da beleza da história. Sem nenhuma dúvida, é um dos melhores filmes já feitos pela Pixar.

 

Escola Cristã Jundiaí